As Aventuras de Tintim – Denise Araripe Pinturas

Tem exposição nova no pedaço! Denise Araripe, artista de mão cheia e mãe de um queridíssimo amigo meu, Pedro Araripe, inaugurou na semana passada a exposição Denise Araripe Pinturas, que faz uma releitura das histórias de Tintim, que, junto com seu cão Milu e o Capitão Haddock, são protagonistas da série de livros do autor belga, Hergé.

Imagem

Denise inspirou-se na discussão criada pela viúva do autor que processou o artista francês Bob Garcia por inserir Tintim em seus livros. Em uma das obras, a artista replicou repetidamente a seguinte frase: “Artigo 47 da Lei 9.610/98”, lei brasileira que trata da liberdade de uso das imagens.

Imagem

Imagem

ImagemImagem

ImagemImagemImagem

Paulo Sérgio Duarte, diretor do Centro Cultural Cândido Mendes, selecionou a mostra: “Denise é uma artista neo-pop. O ressurgimento do pop, com as apropriações que carrega, se dá em um novo contexto, diferente dos deslocamentos de objetos que se dão na sobras de Duchamp e Warhol. Tudo é mais veloz, e essa discussão está na ordem do dia”.

A mostra tem 13 paineis incríveis sobre o tema. Não perca, pois a exposição ficará em cartaz somente até o dia 17 de fevereiro!

Centro Cultural Cândido Mendes
Endereço: Rua Joana Angelica, n. 63, Ipanema

Exposição: 17 de Janeiro a 17 de fevereiro de 2012
Horário: 2° a 6° de 14 às 20hrs sabado 16 às 20hrs

Award for Courage

Após ter sido nomeado o artista mais influente do ano pela Art Review Magazine, Ai Wei Wei ganha prêmio como forma de reconhecimento pela sua coragem e sua heróica dedicação à liberdade de expressão e os princípios democráticos. Lembram que ele ficou 81 dias preso em Beijing no início deste ano1? O prêmio foi dado durante uma festa de gala e leilão de caridade realizado na Phillips de Pury, em Londres.

O evento deu início a iniciativa de angariação de fundos para a fundação Arts for Human Rights, de Bianca Jagger (ex exposa de Mick Jagger). Foi levantado um total de US$ 1,139, 067.34 – uma quantidade respeitável, mas ainda longe da meta de US$ 2 milhões.

O prêmio foi criado pelo artista Marc Quinn em colaboração com a Swarovski.

Teve prêmio para o Brasil também.. o Chefe de tribo indígena Almir Narayamoga Surui, líder dos Suruí, em Rondônia, foi premiado com o “Prêmio de Liderança” pela defesa de sua terra e seu povo na Amazônia.

Ai Wei Wei está com tudo

O artista chinês e ativista social Ai Weiwei acabou de ser nomeado a pessoa mais influente do mundo da arte pela revista Art Review, desbancando ninguém menos do que o também todo poderoso das artes, Larry Gagosian, que acabou ficando em quarto lugar.

Os demais queridinhos Gerhard Richter, François Pinault, Marina Abramovic, Takashi Murakami, Anish Kapoor, Steve McQueen, Damien Hirst, Jeff Koons e Dasha Zhukova ficaram, respectivamente, nas seguintes posições no ranking: 11, 19, 23, 47, 50, 50, 64, 66 e 81.

Para ver a lista completa das 100 pessoas mais influentes, entre em artreview100.com.

Panorama Gerard Richter no Tate Modern

Gerard Richter foi um dos primeiros artistas alemãs a enfrentar o tema do socialismo em suas obras autobiográficas. Nascido em Dresden, em 1932 em uma família de classe média, muitos de seus parentes estavam envolvidos no movimento nazista; irmão de sua mãe, Rudi, morreu um jovem oficial nazista, enquanto a tia deficiente de Richter foi presa em um campo de eutanásia de Hitler.

Só pode ser por essa razão que a ideologia rigorosa e a morte o tenham assombrado desde que era apenas uma criança.

Richter teve o apoio de sua mãe para se tornar artista e ainda durante sua adolescência estudou na Academia de Arte de Dresden, na Alemanha Oriental comunista. Anos mais tarde, e alguns meses antes da construção do Muro de Berlim, ele e sua esposa conseguiram fugir – com apenas uma mala – para Düsseldorf, na Alemanha Ocidental.

No panorama do Tate Modern, o artista aborda também o assunto tabu dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

A mostra começou dia 6 de outubro deste ano e vai até 8 janeiro de 2012.


Os brasileiros estão com tudo em NY

Nova York está definitivamente mais brasileira nesta semana. Após a realização, na noite desta última segunda-feira, do IX Gala do BrazilFoundation, na New York Library, começa hoje, mais um evento brasileiro por lá.. a 1500 Gallery começa a expor “Ramos”, fotografias tiradas pelo fotógrafo Julio Bittencourt na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Para quem não sabe, a Galeria 1500, apesar de ser em NY, se dedica exclusivamente à nova safra de fotógrafos brasileiros que estão com tudo lá fora e Júlio é um dos fotógrafos em ascensão mais aclamados e reconhecidos do nosso país.

Segundo o artista: “A Princesinha do Mar e a Garota de Ipanema não vêm a esta praia. Aqueles que frequentam o Piscinão de Ramos são diferentes e possuem um conjunto completamente diferente de padrões de beleza que estamos acostumados a ver nas revistas de moda. Ainda sim, as figuras são bastante generosas e com curvas para lá de suculentas, implorando para serem espremidas. As mulheres de Ramos exibem suas curvas orgulhosamente e olham para a câmera como se estivessem falando: “há quem goste …”

Para aqueles que não moram no RJ e estão por fora do que se trata o Piscinão de Ramos, é uma praia artificial construída na Zona Norte do Rio de Janeiro e foi inaugurada em 2001 pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro em parceria com a Petrobrás.

O Piscinão está sempre lotado, é barulhento e poluído, além de ser conhecido pelos seus frequentadores – digamos – meio excêntricos. Sem hierarquia social, sem padrões de beleza das capas de revistas, é um tipo joie de vivre comum da Zona Norte. Por lá, o que importa não é sair bem na foto, mas sim, sentir o sol na pele, enquanto se bebe uma cachaçinha.. o importante ali é ser feliz.

Veja algumas fotos da exposição que vai até 28 de janeiro de 2012:

511 West 25th Street, #607
New York, NY

Andy Warhol na Gagosian Gallery

Começa amanhã, dia 16 de setembro, na Gagosian Gallery, em NY, a exposição “Liz” de Andy Warhol. São retratos de Elizabeth Taylor, musa eterna e amiga íntima do artista.

Aclamada como uma das melhores atrizes de todos os tempos, Liz teve uma vida pública altamente carregada de dramas e escândalos. Era, portanto, inspiração perfeita para Warhol, que a retratou de diversas formas, copiando fotos da imprensa, filmes e publicidade. Warhol fez mais de cinqüenta retratos dela ao longo de sua vida.

Andy Warhol (1928-1987) é considerado uma figura importantíssima do movimento Pop Art dos anos 1960 e marcou uma época. Ele trabalhou prodigiosamente através de uma vasta gama de meios, incluindo pintura, fotografia, desenhos, escultura, cinema (foram sessenta filmes experimentais entre 1963 e 1968), televisão (“TV de Andy Warhol”, em 1982 e “Andy Warhol Fifteen Minutes”, em 1986), publicação (revista Interview e vários livros), entre outras performances. Apoiou produtos, apareceu em anúncios e fez negócios, dando nova interpretação para a interação entre a arte e a sociedade. Um

Se estiver por NY, não perca! A exposição fica em cartaz até o dia 22 de outubro deste ano.

Gagosian Gallery